MUITO TRABALHO

de Pablo Katchadjian 

com tradução de Fábio Brüggemann e Darío Marroche

2019

 

Edição traduzida. Mucho trabajo foi traduzido para o português, resultando em 7 páginas com texto em fonte tamanho 2pt.

 

É um romance escrito em 2008 e narrado em primeira pessoa, por um protagonista masculino de 27 anos, um aspirante a escritor chamado Juan Ernesto. É também um romance de formação, iniciação, com componentes fantásticos, de mistérios, aventuras sexuais e reflexões sobre o mundo do jornalismo e da literatura, kafkiano, construído sobre a alternância do absurdo, do realista, do cotidiano e do sinistro, em que o protagonista ignora o que os temidos poderes esperam dele. Muito político, precisamente por causa da falta de política.

 

A escrita durou um ano inteiro, e, ao se deparar com o livro finalizado, Pablo não estava contente com o resultado final, mesmo depois de tanto trabalho para escrevê-lo. Era um bom romance, mas se fosse seu primeiro trabalho como escritor. Sentia pouco, texto pequeno. Deixou guardado e decidiu, então, retomá-lo quando a editora o convidou para publicar uma proposta em uma coletânea de escrita contemporânea. Pablo diminuiu a fonte do tamanho 12 para o tamanho 2, condensando um livro de 202 páginas (espaçamento simples) em 7 páginas, cerca de 56.000 caracteres por página. É um convite para descobrir o romance, um romance que não pode ser lido e só por isso pode ser lido. É preciso óculos de aumento, lupa ou reprodução digital, para que possa ser ampliado em imagem ou outras peripécias já relatadas por leitores. E, apesar de tudo, o trabalho é enorme, existe e o romance está lá: escondido, fantasmagórico, de uma única maneira de evitar um fracasso inevitável, sem abrir mão da escrita.

 

Publicado, originalmente em espanhol, em 2011, pela Spiral Jetty, Mucho trabajo foi traduzido em português, nesta edição. Antes disso, teve sua versão em inglês, francês e hebraico como convidado do Festival Internacional de Poesía e adaptado como ópera.

Em breve, lançamento.